A pele é uma barreira para o mundo exterior protegendo o corpo contra infecções, radiação e extremos de temperatura.

Existem muitos tipos de feridas que podem danificar a pele, incluindo escoriações, lacerações, lesões por ruptura, perfurações e feridas penetrantes.

Muitas feridas são superficiais, exigindo primeiros socorros locais, incluindo limpeza e curativo.

Algumas feridas são mais profundas e necessitam de atenção médica para prevenir a infecção e a perda de função, devido a danos nas estruturas subjacentes, como ossos, músculos, tendões, artérias e nervos.

O objetivo da assistência médica para feridas é prevenir complicações e preservar a função. Embora importantes, os resultados estéticos não são a principal consideração para o reparo de feridas.

Mordidas de animais e humanos devem sempre ser vistas por um profissional médico devido à alta taxa de infecção.

É importante saber o estado de imunização contra o tétano de uma pessoa (por exemplo, a pessoa teve uma vacina contra tétano ou reforço nos últimos 5 anos?) Para que possa ser atualizada com um reforço antitetânico, se necessário.

Causas

As feridas ocorrem quando a pele está quebrada ou danificada devido a ferimentos.

Causas de ferimentos pode ser o resultado de fontes mecânicas, químicas, elétricas, térmicas ou nucleares. A pele pode ser danificada de várias maneiras, dependendo do mecanismo da lesão.

A inflamação é a resposta inicial da pele ao ferimento.

Tipos de feridas

Superficiais (na superfície) feridas e abrasões deixam as camadas mais profundas da pele intactas. Esses tipos de feridas são geralmente causados por fricção de atrito contra uma superfície abrasiva.

As abrasões profundas (cortes ou lacerações) passam por todas as camadas da pele e pelo tecido subjacente, como músculo ou osso.

As feridas perfurantes são geralmente causadas por um objeto pontiagudo que entra na pele. Exemplos de feridas por punção incluem uma picada de agulha, pisando em uma unha ou uma facada com uma faca.

As mordidas humanas e de animais podem ser classificadas como feridas por perfuração, abrasões ou uma combinação de ambas.

Feridas de pressão (úlceras) podem se desenvolver devido à falta de suprimento sanguíneo para a pele causado por pressão crônica em uma área da pele (por exemplo, uma pessoa que está acamada, senta por longas horas em uma cadeira de rodas ou a pele). Indivíduos com diabetes, problemas circulatórios (doença vascular periférica) ou desnutrição têm um risco aumentado de úlceras de pressão.

O cuidado adequado da ferida é necessário para prevenir a infecção, assegurar que não haja outras lesões associadas e promover a cicatrização da pele.

Um objetivo adicional, se possível, é ter um bom resultado cosmético depois que a ferida estiver completamente curada.

Sinais e sintomas de feridas

Os sintomas mais comuns de uma ferida são dor, inchaço e sangramento.

A quantidade de dor, inchaço e sangramento de uma ferida depende da localização da lesão e do mecanismo da lesão.

Algumas lacerações grandes podem não doer muito se estiverem localizadas em uma área que tenha poucas terminações nervosas, enquanto abrasões nas pontas dos dedos (que têm um número maior de nervos) podem ser muito dolorosas.

Algumas lacerações podem sangrar mais se a área envolvida tiver um número maior de vasos sanguíneos, por exemplo, o couro cabeludo e o rosto.

Importância do Técnico em Enfermagem no tratamento de feridas

Cuidando de feridas cirúrgicas

Em alguns casos se fás necessário à intermediação do técnico de enfermagem para cuidar de uma ferida cirúrgica. O profissional provavelmente terá que proteger a incisão com um curativo por alguns dias e trocar o curativo diariamente, seguir as instruções do médico para cuidar de pontos ou grampos. Orientar o paciente quanto a manter a área seca e relatar qualquer aumento de sangramento ou vermelhidão ao médico.

Reconhecendo Sinais de Infecção

O profissional Técnico de Enfermagem é capacitado para reconhecer sinais de infecção como; vermelhidão da pele que se espalhe pela lesão, inchaço, líquido verde ou amarelo ou aumento de calor ou sensibilidade ao redor da ferida. Outros sinais tais como nódulos linfáticos inchados no pescoço, axilas ou virilha, bem como dores no corpo, calafrios ou febre. Neste caso o profissional ira notificar imediatamente o médico.

Tempo de cura de feridas e prognóstico

O prognóstico para a cicatrização de feridas é individualizado e depende do tipo de ferida, da lesão subjacente e da saúde inicial do paciente. Quanto mais complicado o paciente e mais complicado o ferimento, o prognóstico para um resultado perfeito diminui. O objetivo de todas as feridas é ter uma cicatrização que permita o retorno da parte lesada à função normal.

O resultado também depende dos fatores de risco presentes. Feridas que estão contaminadas e muito sujas são mais propensas a se infectar, e curam mal do que aquelas que não estão.

As feridas tendem a cicatrizar com menos sucesso em indivíduos com diabetes mal controlada ou com má circulação. Todas as lacerações deixarão uma cicatriz, mas o profissional de saúde trabalhará para minimizar a espessura e a aparência das cicatrizes.

Os cuidados são de extrema relevância nos tratamentos de feridas, onde os técnicos de enfermagem acompanham evoluções, orientando, e executando cuidados em feridas ou lesões.

Sendo assim passando por várias etapas, o profissional tem como objetivo planejamento do tratamento adequado através de métodos terapêuticos adequados, onde devera ser aplicado juntamente a uma equipe multidisciplinar.

Tratamento para feridas

A história é importante para entender as circunstâncias da lesão, porque o mecanismo da lesão afetará significativamente o cuidado prestado. Uma mordida de animal exigirá mais cuidados médicos do que uma queda no playground. É importante conhecer as circunstâncias da lesão para decidir a quão suja a ferida pode estar e se há algum ferimento subjacente potencial.

Pessoas com diabetes, má circulação, diálise ou uso de medicações que possam comprometer o sistema imunológico correm maior risco de infecção; e a decisão de reparar uma ferida pode ser afetada pelo histórico médico do paciente. O status de imunização contra o tétano será necessário para determinar se a imunização é necessária.

O período de tempo de quando a lesão inicial ocorreu e quando a assistência médica é solicitada também é uma consideração. Quanto mais tempo uma ferida é deixada aberta, maior o risco de infecção se ela for suturada. O guia para muitos profissionais de saúde é entre 6 e 12 horas. Se a ferida tiver mais de 6 a 12 horas, ela não pode ser suturada. As lacerações das extremidades, incluindo pernas, braços, pés e mãos, podem envolver tendões, nervos e artérias. Avaliar sua função é uma parte importante do exame físico.

Entender os vários procedimentos de fechamento da pele e saber como eles são colocados e o que esperar quando são removidos ajuda no processo de cuidados.

A qualidade profissional expõe todo conhecimento teórico e prático para que o tratamento seja eficaz na escolha do método que será seguido.

Por: Bianca Gabriela de Castro
COREN MG 496555 Atua no Centro Cirúrgico – URSS BH/MG

Solicite Orçamento